segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Frase do dia

"A família, para mim, é a coisa mais importante. Não há nada que eu goste mais do que viajar com Dorothea e as crianças."
Jon Bon Jovi.
Fonte: Wikiquote.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Direto do Túnel do Tempo (1991) : O solo de Jon Bon Jovi.


Bon Jovi anuncia uma nova parada
(Janeiro de 2011)


Conforme temos acompanhado, dia 27 de janeiro os fãs Bon Jovi receberam a fatídica noticia, anunciada na Revista Rolling Stones pelo baterista da Banda Tico torres, que a banda passaria por mais uma nova separação e férias devido a exaustidão e cansaço de seus integrantes que permanecem desde fevereiro de 2010 em turnê pelo álbum “The Circle”,que trouxe a banda consecutivos sucessosm como a 1º posição no Bilboard , considerada a turnê mais lucrativa de 2010, e prémios como o recebido no “EMA” de banda mais influente no mundo do Rock.


Depoimentos como a do vocalista Jon Bon Jovi, de que estaria cansado e a confirmação deste no elenco do novo “New Year's Eve”, além de algumas declarações assumidas do guitarrista, Richie Sambora, de que estaria entusiasmadissimo com a possiblidade de gravar um novo trabalho solo, vinham trazendo previsões do que o Baterista, Tico Torres, anunciaria em 27 de janeiro: Mais pausa do Bon Jovi.
Album "Keep the Faith"Marca do Retorno em 1992
Mas tal anuncio, que desanimou a maioria dos Fãs da Banda seria assim tão fatídico? Afinal a banda mantém uma longevidade e sucesso, não alcançada por muitos de seus colegas do Hard Rock , muito auxiliada por estas paradas, que mantém o individualismo de cada compontente, a presença do Bon Jovi na mídia e principalmente a união da banda que está a cada ano mais forte, afinal a convivência humana já não é simples, e se considerada com a convivência de 4 rapazes que passam semanas longe dos seus entes e vidas particulares, perdendo aniversários de filhos, companhia de namoradas e esposas, e momentos de lazer para apenas olharem para cara de seus parceiros cada dia mais exaustos e desanimados por este mau-lado da fama.Não podemos esquecer também os supreendentes lançamentos dos álbuns “Keep the Faith”(1992) e “Crush”(1999). Será que eles seriam tão aclamados e esperados se não fossem marcas de retornos e viradas de fases da Banda?

Album "Crush"Marca do Retorno em 1999
Se voltarmos ao tempo e considermos as paradas que a grande banda teve no caminho, verifcaremos os resultados positivos de tal descanso. Tal anúncio foi presenciado em por muito dos fãs no fim da Turnê These Days em meados de 1996 e a seguir pudemos acompanhar o lançamento de dois ótimos álbuns solos como “Destination Anywhere” de Jon Bon Jovi e “Undiscovered Soul” de Richie Sambora , além do desempenho de Tico Torres nas artes plásticas e o Sucesso de David Bryan nos palcos da Brodway,conhecendo assim o trabalho de cada integrante de forma mais intimista e independente. Foi uma parada tranquila,combinada e consciente. Se a analisarmos tal parada e a compararmos com o término da banda não anunciado e precipitado em 1990, no fim da turnê New Jersey, veremos o quanto esta foi positiva e menos traumatizante.Quem acompanhou e assistiu o documentário “We were só Beautiful” lançado junto com o cd The circle pode conferir o depoimento dos integrantes referente a exaustão e traumas causados pela grande quantidade de shows feitos durante a primeira fase da banda, que obteve por resultado a volta dos integrantes as suas casas sem ao menos despedirem- se e conversarem sobre futuros projetos.De acordo com o documentário, a volta do Bon Jovi só foi possivél devido a força de vontade de não desistência por parte do Jon e dos integrantes daquele lindo sonho chamado “ Bon Jovi” e também de auxílio de psicologos que os acompanharam durante a volta da banda.

Considerando a análise sobre separações da banda, vamos voltar ao “Túnel do Tempo” e acompanharmos o primeiro lançamento solo de Jon Bon Jovi, que deixou os fãs em 1991 totalmente alarmados e não muito confiantes na volta da banda. Ao contrário de nós que não somos mais “Marinheiros” de primeira viagem e conhecemos nossos meninos de forma mais profunda, tendo assim a certeza absoluta de que eles não nós abandonarão e a hora de aposentaria deles está longe de chegar.

Por Reca Silva


Segue matéria publicada na revista juvenil “Capricho” em Março de 1991:

O solo de Jon Bon Jovi



A legião de fãs do grupo Hard Rock Bon Jovi está com o disco “Jovem demais para morrer” - Trilha do bang – bang “Young Guns II” - atravessado na garganta. Ao mesmo tempo que de delicia com o Hit “Blaze of Glory” lamenta que a banda, assim como os mocinhos do filme, ainda é nova demais para acabar. O disco vai muito bem, obrigado, mas marca a partida para a carreira solo do vocalista Jon.

Blaze of Glory
(primeiro solo de Jon)
Sempre que perguntado sobre a separação, o cantor e compositor desconversa e fiz que seu novo trabalho não significa necessarriamente o fim do Bon Jovi. É bem verdade que os Talking Heads e os Rolling Stones resistiram bravamente as escapulidas de seus integrantes, mas não é para qualquer um. Não raro, o equilibrio do conjunto acaba irremedialvente prejudicado, principalmente quando o cara que sai é “o cara” e até nome do grupo, como no caso de Jon Bon Jovi.

Ele nasceu em 2 de Março de 1962, filho de um militar da marinha que montou um salão de barbeiro e de uma aspirante a coelhinha da playboy. Quando garoto,franzino e mau aluno, arrumou muitas brigas pelas ruas de New Jersey , local onde nasceu. Sua vida começou a mudar quando descobriu o “Rock do Led Zeppelin” aos 13 anos. “As pessoas acham que eu já nasci de óculos escuros e uma Fender Stratocaster pendurada no pescoço “ diz se referindo a guitarra que chegou a arranhar em suas primeiras aventuras musicais com o grupo “The Rest” , do qual fez parte antes de montar sua própria banda.

O sucesso começou a sorrir para o descendente de italianos quando montou o Bon Jovi no inverno de 81. De lá para cá foram 20 milhões de cópias vendidas de seus LPs , uma média de 250 shows em cada um dos três anos e milhares de fãs que o transformaram em um verdadeiro Sex Symbol, como ficou claro na passagem do grupo pelo brasil, no começo do ano passado.


Fonte Revista Capricho - março de 1991
Matéria encontrada no arquivo de Reca Silva

Frase do dia

"Em 1991 eu estava na Califórnia com minha esposa, mas tudo o que eu podia fazer era beber... excesso, confusão. desapontamento, raiva! Eu só ficava no deck questionando tudo o que eu tinha feito até esse ponto. Naquele verão cinzento a ligação que eu tinha com minha esposa era a única coisa consciente que restava na minha vida... Ela me impediu de pular de um carro em movimento uma vez... ela salvou minha vida."

Jon Bon Jovi.
Fonte: Wikiquote.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Frase Do Dia!

"Sempre fui de família pobre nunca me preocupei com dinheiro. Passei tantos anos felizes vivendo sem grana que sei que ninguém precisa ser rico para ser feliz"
Jon Bon Jovi.
Fonte: Wikiquote.

As mudanças de visual de Jon Bon Jovi, por Gustavo Alves


Em uma de minhas pesquisas em busca de informações a respeito da banda, encontrei esse comentário no blog do Gustavo Alves, um famoso design de cabelos. Pode parecer supérfluo e fútil, entretanto os cabelos são importantes para todos nós, são o molde dos nossos rostos e quanto mais bem cuidados, mais bonitas (os) ficamos! E Jon sabe bem disso! Veja os comentários do design


Nessa ultima Quarta-Feira dia 06/10/2010 estive em São Paulo conferindo o show da banda de New Jersey Bon Jovi e com previsão de receber 68 mil pessoas, o Estádio do Morumbi, ficou lotado. Sempre fui fã da banda e é impossível não reparar na mudança de visual que ocorreu durante sua carreira. Dos cabelos volumosos com a técnica de permanente dos anos 80, até os dias atuais com escova progressiva e luzes.



Vamos conhecer os visuais de Jon Bon Jovi desde o inicio de sua carreira, até os dias de hoje.


80's - Cabelo Selvagem: O começo de tudo

Vaidoso, diz que está tomando todas as providências possíveis para não ficar careca. Afinal, foi o cabelo volumoso que ele ostentava nos anos 80, grande responsável pelo seu visual wild que, obviamente, chamava a atenção de todos e o ajudou a fazer com que sua música desse o que falar. Hoje, passado mais de 25 anos, é engraçado, mas na época, era a ultima tendência. Tanto que bandas como Poison, Whitesnake também faziam parte desse movimento.

90's - Visual Clean: Porem com escova e volume na raiz

Depois de uma parada estratégica, a banda voltou com todo o gás em 1992, totalmente repaginada. Jon Bon Jovi e os demais integrantes, com exceção de David Bryan, cortaram as madeixas e esse corte se refletiu no trabalho também que estava menos hard, mais sintetizado (vide Keep The Faith) e ainda continuava muito bom.

Jon Bon Jovi, a moda e os 2000′s

Embora o visual de Jon Bon Jovi tenha sido um tanto carregado no início da carreira, ele sempre foi o queridinho da América. Educado, contra as drogas, pai de família, casado há muitos anos com a mesma mulher, Jon Bon Jovi era alvo fácil para agências e marcas que queriam investir em pessoas com forte apelo da música e com estrelinhas de bom comportamento. Versace fez de Jon, no final dos anos 90, um garoto propaganda. Diversas revistas de moda aproveitaram o seu potencial de modelo e fizeram inúmeros editoriais mostrando o outro lado de Jon Bon Jovi.

Nos anos 2000 Jon Bon Jovi adota um visual mais natural com fios em camadas longas, luzes discretas e escova progressiva proporcionando mais suavidade em seu tipo de rosto e um aspecto mais saudável em seus cabelos. Esse novo estilo alem de rejuvenescê-lo, criou um efeito moderno e elegante. Algo como um cabelo cuidadosamente desarrumado/arrumado.



Incrível como o Bon Jovi atrai fãs de todos os estilos, áreas de atuação profissional e classes sociais, entre outras diferenças. No Brasil, país repleto de diversidad, enxergamos isso com muito mais clareza, não é?

Fonte: http://gustavoalveshair.blogspot.com/2010/10/as-mudancas-de-jon-bon-jovi.html

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Bon Jovi vai dar um tempo após turnê, diz baterista

 

'Você precisa ficar longe para as pessoas gostarem mais de você', disse.
Segundo músico, grupo deve fazer pausa que durará 'alguns anos'.

Do G1, em São Paulo

Jon Bon Jovi diz que o público nos shows está cada vez mais masculino. 'Olhamos do palco e nos perguntamos, 'cadê as garotas'?'.

O baterista do Bon Jovi Tico Torres disse, em entrevista publicada pelo site da revista "Rolling Stone" nesta quinta-feira (27), que a banda fará uma pausa ao fim da turnê que passou pelo Brasil no ano passado.

Torres afirmou que parte da motivação para a banda parar por alguns anos se resume à necessidade de dar ao público algum tempo sem ouvir falar do grupo. "Às vezes você precisa ficar longe para que possam gostar mais de você", disse ele.

A banda americana tem compromissos agendados até o dia 31 de julho, quando se apresenta na cidade de Lisboa, em Portugal. Antes, eles tocam em Barcelona, na Espanha. O fim da turnê contará também com apresentações na Itália, Bélgica e Grécia.

O baterista não foi claro sobre os planos dos integrantes. "O que posso garantir é que vamos precisar de alguns anos longe [da mídia], com certeza." Jon Bon Jovi, líder da banda, vai retornar ao cinema no filme "New Year's Eve", dirigido por Garry Marshall ("Uma linda mulher").

Fonte: G1 – Globo.com

Colaboração: Sell Oliveira

Frase Do Dia!

"Acredite no amor. Acredite na magia. Inferno, acredite no Pai Natal. Acredite em algo. Acredite em você mesmo. Acredite nos seus sonhos. Se não o fizer, quem o fará?"
Jon Bon Jovi.
Fonte: Wikiquote.

Direto do Túnel do tempo (1997) : Jon Bon Jovi é "O Sedutor"


Se buscarmos o nome Jon Bon Jovi em qualquer site de pesquisa, veremos a grande quantidade de notícias ligadas a sua volta aos cinemas e especulações sobre sua participação na sequência de “Idas e vindas do amor”. Entretanto esta não é a primeira vez que uma participação de Jon causa alvoroço entre os fãs...Mexendo no Túnel do Tempo, encontramos uma entrevista publicada no Jornal O Estado de São Paulo em 1997, onde Jon fala sobre a sua entrada nas telinhas Hollywoodianas. A reportagem foi publicada justamente na semana de lançamento do filme mais conhecido que Jon atuou, “O sedutor”. Além de contar um pouco sobre a sua vida de ator, Jon fala também referente ao seu álbum solo “Destination Anywhere”, carreira e familia.

Então hora de reviver mais um grande momento na vida de Jon Bon Jovi:


Bon Jovi testa seus dotes cinematográficos

O Cantor vive um frio e calculista sedutor
no filme de John Duigan, que estréia hoje em SP”


Por Marcelo Bernardes (Jornal O Estado de São Paulo 22/08/1997)

Nova York – Em Julho chegou às lojas de todo o mundo o segundo disco solo do cantor Jon Bon Jovi , “Destination Anywhere”, que mistura baladas, rock, R&B e muita introspecção. Bon Jovi quer provar que é um bom músico e aluno aplicado em seu novo ofício, o cinema. "O Sedutor" de John Duigan, foi rodado a 18 meses em Londres e estréia hoje em São Paulo.
Bon Jovi contracena com um elenco formidavél: Thandie Newton, Lambert Wilson, Anna Galiena e David Warner. O cantor é Robin Granger, um ator hollywoodiano tipo Brad Pitt que vai a Londres fazer uma peça para provar que não é só um rosto bonito. Ele é o Leading man do texto de um dramaturgo (Wilson) que vive um caso extra-conjugal com uma atriz do elenco (Thandie).
Quando o escritor começa a ser pressionado pela esposa (Anna) com quem tem três filhos. Bon Jovi oferece ajuda e inicia plano para seduzi-la, mas não se contenta só com isto e avança sobre Thandie.
John Bongiovi, de 35 anos, sabe que os críticos nunca o levaram a sério. Com 75 milhoẽs de cópia vendidas depois de doze anos na estrada – 10 milhoões só para Keep the Faith em 1992 – o rebatizado Jon Bon Jovi ainda lida com piadas sobre seu corte de cabelo .A maior delas surgiu na época do Slippery when wet, um disco que ele preza muito, lançado em 1986.
Folder Divulgado do Filme
Diziam os boatos que, num Barbacue na casa de Bruce Springsteen, o fogo da churrasqueira pulou para seus cabelos, chamuscando suas madeixas e o deixando com look de ovelha. “Mesma coisa com Barbara Streissand” explica o cantor com ar de Flamboyant. “Perdem tempo falando das unhas e do nariz dela e ninguém nota que a mulher tem uma obra coerente e que luta para manter um padrão”, conclui Bon Jovi, que poucos minutos antes, se afundava numa poltrona de couro marrom na sala do escritório de seu Manager, na rua 57, centro de Manhattan.
Com sua banda mais tranquila agora, já que Richie Sambora, David Bryan e Tico Torres partiram para rumos distintos, que vão desde projetos solos a paternidade (Sambora vai ser pai, em outubro, do filho da loiraça Heather Locker, protagonista da série Melrose), Jon pode se dedicar a shows intimistas e a projetos cinematográficos, vestindo jeans levi's com dois furos na parte superior da coxa e botas de cowboy, Bon Jovi recebeu a reportagem do Estado, numa tarde de muito calor:


(Estado) – Como você conseguiu o papel principal de “O Sedutor” ?
(Jon Bon Jovi) – John (Duigan) viu o “Jogo da Verdade” (com Whoppi Goldberg, Katlen Turner e Gwyneth Paltrow), meu primeiro filme, e gostou muito. Em seguida já me mandava o roteiro. Para mim foi um passo lógico aceitá-lo. Era um papel maior, num filme pequeno, europeizado e quase artesanal, era um personagem cheio de ideias e vitalidade, além de ter gostado muito do diretor.

(Estado) – Você se considera um bom ator agora?
(Jon Bon Jovi) O Jogo da verdade foi meu primeiro filme. Eu estava verde no negócio. Depois do quarto, oitavo, décimo take, ainda achava que eu era ali. É bem típico você sempre estar se desculpando, quando não domina uma situação. Já com “O Sedutor” passei dez dias fazendo ensaios com John e o elenco. Quando cheguei no set, sabia exatamente o que fazer. Nesse filme, senti-me mais confortavél, mais sob controle. Comparo também os personagens. Meu primeiro era mais superficial, já Robin Grange é um sujeito tridimensional. Ele tem um passado, um futuro e interage muito mais dramaticamente com os demais personagens.

(Estado) – Como se preparou para o papel?
(Jon Bon Jovi) Inicialmente não queria assumir um compromisso com o filme, John convidou–me e neguei, apenas porque estava atolado com as turnês da Banda. John deu–me seis meses de prazo, período em que pude explorar todos os nuances psicológicos do personagem, com ajuda do meu professor de interpretação e de John.

(Estado) – Que tipo de convite vem recebendo no cinema?
(Jon Bon Jovi) Papéis em filmes de ações e comédias românticas, recentemente recusei várias produções como “Anaconda”, por exemplo. Adoraria viajar para o Brasil, onde nossos shows foram excelentes, mas o roteiro era rídiculo. Não gosto destas besteiras que Hollywood produz como “O Santo” .

(Estado) – Quando vai ao cinema o que gosta de assistir?
(Jon Bon Jovi) Apesar de não ser fã das comédias de Jim Carrey , devo dizer que fui ver “O Mentiroso” e ri muito. Gostei também de “Inimigo Íntimo”, apesar de toda aquela palhaçada de brigas de egos. “Na corda Bamba” que deu o Oscar a Billy Bob Thornton e Crash - “Estranhos prazeres” de Cronemberg.

Capa Destination Anywhere
(Estado) – Qual o conceito para o álbum “Destination Anywhere” ?
(Jon Bon Jovi) Este cd é uma criação mais intimista , um trabalho para provar e reiventar meu estilo de compor uma música mais pensada. Passei vários meses em Londres, por ocasião das filmagens, e há muito das minhas observações sobre este período no álbum. Mas não acho que ele tenha um conceito, uma linha mestra e seja fruto de uma só fonte de inspiração.

(Estado) – A banda Bon Jovi surgiu na década de 80, cruzou a barreira dos 90 e continua ainda a fazer sucesso. Como explica esta longevidade?
(Jon Bon Jovi) Acho que muito do nosso apelo tem a ver com o fato de sempre termos sido uma banda de garagem. Isso deu sustentação conceitual para a gente. É claro que o público se identificou muito com nossas músicas, o que ajudou bastante. Estamos na estrada desde 84, numa viagem contínua. Fomos a muitos lugares e as pessoas compareceram em todas as vezes.

(Estado) – Foi dificil manter a banda viva com tanta competição?
(Jon Bon Jovi) Lançamos o “Keep the faith” em 1992, na mesma época que o Nirvana começou todo o movimento Grunge. Um monte de colegas nossos não conseguiram segurar este momento. Mas nós prosseguimos colocando na parada alguns dos nossos maiores sucessos de nossa carreira, num ponto bastante pessoal e maduro de nossa trajetória. Acho que toda essa felicidade e maturidade foi repassada pelo público, que nos deu passagem para seguirmos em frente.

(Estado) – Por que você disse não gostar mais de se apresentar em Megashows?
(Jon Bon Jovi) Você fica mais confortavél, mais sob o controle da situação, quando a coisa é pequena. Tenho muitas memórias da turnê “Slippery When Wet” que não foram boas, porque estávamos voando muito rápido e perdendo a diversão daquilo. A Tour do álbum “These Days” foi o máximo porque tinhamos uma perspectiva muito mais bem delineada.

Campanha Versace
(Estado) – Como os demais integrantes da banda avaliam seu interesse atual pela carreira de ator?
(Jon Bon Jovi) Você vai ter que perguntar a eles. Mas acho ser bem aceito agora, do que a seis, sete anos, quando a vida deles era só em torno da banda. Ninguém tinha outra meta, nenhum ramo criativo para seguir: era só a banda. Agora todo mundo tem seu caminho, novos trabalhos e reunimos nos momentos que achamos convenientes.

(Estado) – O que você acha da discussão sobre o corte de seu cabelo?
(Jon Bon Jovi) Já não presto atenção nisto, não me importo mais. Naquela época quando lançamos o “Slippery when wet” foi desalentador. Estavamos na capa da revista Rolling Stones, tinhamos o disco mais vendido, fruto de muita luta e tudo que as garotas e a imprensa queriam comentar era sobre meu corte de cabelo. A coisa boa disto tudo é que passado dez anos, o “Slippery” é um grande álbum.

(Estado) – Que tipo de música você escuta agora?
(Jon Bon Jovi) Meu álbum favorito é o do “Walflowers”, sabe, do filho do Bob Dylan?

(Estado) – E antes quando tocavam numa garagem?
(Jon Bon Jovi) Todas aquelas coisas que caras que cresceram nos anos 70 ouvem: Bowie, Thin Lizzy, Aerosmith, Led Zepelin. Mas as coisas que realmente me influenciaram quando jovem foram Southside Johnny (and the Asbury Jukes) Bruce Springsteen e os caras que cresceram no meu bairro.

(Estado) - E no cinema, atores que admira?
(Jon Bon Jovi) – Definitivamente caras da minha geração, como Sean Penn, Daniel Day Lewis, Jhonny Deep e Val Kilmer.

(Estado) - Você sempre críticou o fato dos atores serem modelos, mas deixou que sua imagem fosse usada nos anúncios de “Gianni Versace” como explica isto?
(Jon Bon Jovi) - É só olhar para o anúncio e vai ver como pareço desconfortavél nele. Não é sempre que se tem a oportunidade de trabalhar com um grande fotográfo como Bruce Webber. Ele foi ver meu show em Buenos Aires e veio com essa ideia de fotografar. No dia seguinte ele e a equipe da Versace apareceram no meu hotel e me deram uma calça, cueca e jeans preto. Fizemos um divertido trabalho por quase duas horas. Disse que se eu gostasse do resultado, eles poderiam usar em revistas. Mas não houve troca de dinheiro e nenhuma concepção da campanha. Foram só fotos, nas quais acho que me sai bem.(risos).

(Estado) – Você é vaidoso com roupas?
(Jon Bon Jovi) – Não! Sempre tenho este mesmo estilo: jeans, camiseta e no frio, um casaco de couro.

(Estado) – Você já disse em entrevista que acha o preço das roupas de Versace salgado.
(Jon Bon Jovi) – Muito. Não tenho dinheiro para ficar comprando vestido de U$$12 mil para minha mulher. Digo para ela não se assanhar, assim não quebramos o orçamento familiar. (risos).

Campanha Versace


(Estado) – É verdade que Robert de Niro o queria para o papel de “Val Kilmer” em “Fogo contra fogo” ?
(Jon Bon Jovi) – Li numa revista, como qualquer outro leitor, que ele tenha visto meu trabalho e gostado muito. Nunca encontrei com ele nem recebi nenhum convite.

(Estado) - A paternidade afetou seu estilo de compor?
(Jon Bon Jovi)Não muito. Nunca escrevi nenhuma canção influenciada pelos meus filhos até agora. Billy Joel fez uma coisa muito interessante com isso em seu mais recente álbum. Mas a paternidade neste momento só afetou meu lado pessoal. Já não sou mais o centro das atenções em casa, o papo é sempre mamadeira e fraldas e nunca Bon Jovi. (risos)

(Estado) - Que tipo de conselhos você tem dado a Richie Sambora, que agora vai ser pai?
(Jon Bon Jovi) Richie é um cara que adora dormir até o meio-dia, vai ter de esquecer-se disto.

(Estado) - Qual a imagem errada que as pessoas ainda fazem de você?
(Jon Bon Jovi) Que tenho 1m74 e sei mergulhar. (risos)


Fonte: O Estado de São Paulo
Retirado do Arquivo pessoal de Reca Silva


quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Fãs de Bon Jovi fazem com que Zon altere anúncio de TV em Portugal.


Num anúncio recente à ZON Íris, o Bon Jovi é citado como uma banda "Brega", algo que não agradou aos fãs portugueses.




Anúncio da Zon Íris, que permite aos clientes da Zon personalizar a programação televisiva de acordo com as suas preferências, cita Bon Jovi usando o seguinte Jargão: "há uma linha que separa o que ontem era fixo do que hoje é Brega", como pode-se ver no video.
Após algumas pressões nas redes sociais e no YouTube dos admiradores Portugueses da banda norte-americana, a empresa comprometeu-se a alterar o anúncio publicitário de modo a eliminar a referência ao Bon Jovi.
«Queremos agradecer e louvar a atitude da Zon ao retirar um anúncio que não dignifica uma banda que tem muitos fãs em Portugal e no mundo», assinalou o clube de fãs dos Bon Jovi no Facebook.
De relembrar que o Bon Jovi se apresenta no Parque da Bela Vista, em Lisboa, a 31 de Julho.

Fonte : destak.pt

Frase Do Dia!

"Jon e eu temos nossas diferenças, às vezes brigamos mesmo, mas depois da briga saímos e tomamos uma bebida juntos, esfriamos nossas cabeças e sempre acabamos rindo! É normal que duas pessoas se desentendam quando trabalham tão próximas como nós."
Richie Sambora 1998
Fonte: Everybodylovesbonjovi.

Bon Jovi poderá tocar na Ásia em Abril

Ao que tudo indica, a turnê "Bon Jovi – Live 2011″ divulgando o Greatest Hits não irá acabar no 1º semestre de 2011.

O Ministro de Turismo de Israel confirmou um show da banda no país no dia 27 de Abril, faltam apenas alguns detalhes para a própria banda confirmar a presença.Outros países como Emirados Árabes, Índia, Tailândia, Vietnã, Malásia, Singapura, Indonésia e Filipinas já tem o "OK" da banda, porém ainda falta a confirmação de contratos e alguns detalhes burocráticos.

O jeito é esperarmos, em Abril a banda não tem nenhum show agendado por enquanto, então existe grande chance da banda realizar apresentações em países da Ásia.

Fonte: Bon Jovi Brasil

Jon Bon Jovi de volta aos cinemas no novo " Idas e Vindas do Amor"


O astro do rock está escalado para a nova sequência da comédia romântica “New year Eve (Idas e vindas do Amor) que costuma mostrar o cotidiano de antigos e novos casais no dia dos namorados.

A parceira de Jon nesta sequencia será Halle Berry, que viverá uma ex – namorada que o nosso roqueiro favorito encontraria no dia dos namorados e estará disposto reviver uma linda história de amor vinda do passado, tentando reconquistar seu amor e com ela passar um lindo “Valentine day”. Como podemos ver tal reencontro deixará em um único dia a vida do personagem de Jon de pernas para o ar.

Juntamente com Jon, estão escalados nesta tão esperada “trama” romântica Robert De Niro Ashton Kutcher, Lea Michele, Sofía Vergara ,Zac Efron, Jessica Biel ,Halle Berry ,Michelle Pfeiffer, Abigail Breslin ,Jessica Parker, Hilary Swank, Sarah Sienna, Miller Frankie, Muniz Sara Paxton.

Como podemos ver a sequência de “ida e vindas do Amor” tem tudo para repetir o sucesso já obtido no primeiro capitulo da comédia romântica.Agora só nos resta a nós surtados Bonjovianos aguardar o lançamento e correr para o cinema mais próximo.

By Reca Silva